Bonecos gigAntes construídos a partir de histórias orais desfilarão no Dique do Tororó

unnamedNo dia 17 de abril (domingo) o Dique do Tororó vai virar um verdadeiro Lugar de GigAntes. Bonecos de até 8 metros, feitos com estrutura de vime e cobertos por papel seda irão caminhar pelo Dique acompanhados pelo Maestro Fred Dantas e sua Orquestra de Frevos e Dobrados. Os gigAntes foram construídos por crianças, adultos e idosos durante oficinas livres de criação realizadas nos bairros do Santo Antônio Além do Carmo e Novos Alagados, no Subúrbio Ferroviário de Salvador. Eles nascem das histórias coletadas pelos participantes durante conversas com os moradores locais. No Encontro de GigAntes, as criaturas vão se conhecer e desfilar juntas.

“A construção dos gigantes é uma possibilidade de criatividade imensa e só se faz a muitas mãos. Quando convido moradores de distintas faixas etárias a conversarem e contarem histórias do seu lugar para então coletivamente transformá-las em gigantes, acredito que algo de importante acontece naquele lugar. Memórias são reavivadas, pessoas se encontram, o sentimento de identidade e de pertencimento se faz presente”, destaca Alessandra.

Oficinas – As oficinas de criação no Subúrbio Ferroviário acontecem de 28/03 (segunda-feira) a 14/04, no Espaço Cultural Alagados, no Final de Linha do bairro do Uruguai, de 9h às 12h. O cortejo é na sexta-feira (15/04). Quando as criaturas gigAntes ganham vida e seguem em cortejo pelas ruas do bairro, acompanhadas do maestro Fred Dantas e sua Oficina de Frevos e Dobrados.

O projeto – Vime, papel seda, cola, muita criatividade e coletividade. Com esses ingredientes, memórias se transformam em criaturas gigAntes que seguem em cortejo pelas ruas espalhando e recontando histórias. Este é o Lugar de GigAntes, projeto idealizado pela atriz, bonequeira e jornalista baiana Alessandra Flores. Durante quatro meses (fevereiro a maio) serão realizadas oficinas artísticas gratuitas para construção de criaturas gigantes inspiradas em histórias locais e realizados dois Encontros de GigAntes (um em Salvador e um em Cachoeira). As oficinas acontecem em Salvador – nos bairros do Santo Antônio Além do Carmo e Alagados – e no Recôncavo baiano – nas comunidades quilombolas do Pilar, em São Félix e Quilombo do Iguape, em Cachoeira. Podem participar pessoas de todas as idades. Por meio das histórias trazidas pelos grupos, serão produzidos quatro gigantes. “Tudo começa com um desenho. Peço para cada pessoa criar o seu. Da junção de elementos de vários desenhos, nasce uma criatura única, inusitada, que pertence a todos”, explica Alessandra. As oficinas se encerram com um cortejo das criaturas pelas ruas do lugar. O projeto Conta com apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural e Secretaria de Cultura da Bahia e apoio institucional da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e da organização cultural Casa de Barro.

História –  Alessandra Flores aprendeu a fazer criaturas gigantes em zonas de pós-guerra quando fez parte da Rise Phoenix, de Londres, apresentando espetáculos e construindo bonecos gigantes no Kosovo, Bósnia, Croácia e Índia. A primeira criatura gigante que ajudou a fazer nasceu em Londres e atravessou a Europa até o Kosovo: uma Fênix gigante, parte de um espetáculo que alertava crianças sobre o perigo das minas explosivas que podiam ainda estar em qualquer lugar, até mesmo dentro de um brinquedo. Em Jajce na Bósnia, percebeu que a construção de um gigAnte é quase um pretexto para questões muito maiores, como a tomada de decisões em conjunto, a colaboração, o exercício da liberdade de criar e a importância de compartilhar essa criação com a comunidade. “Acredito no poder da celebração, que abre um espaço e cria pontes entre as pessoas”, diz. Em Jajce, importante cidade na história da extinta Iugoslávia, durante o processo de construção das criaturas gigantes, crianças e jovens, oriundos de distintas etnias que durante anos estiveram em conflito, precisaram necessariamente trabalhar juntos e ajudar um ao outro em prol de uma criação comum. A Mãe Natureza e a Humanidade se transformaram nas criaturas gigantes que saíram em cortejo pelas ruas aproximando povos e amenizando diferenças. “Vimos a união acontecer na prática, através de uma criação enorme, palpável, colorida em um lugar em que os conflitos religiosos, étnicos e ideológicos geravam ainda  um ostracismo enorme”, conta a artista.

 

SERVIÇO:

O QUE: Oficinas de Criação em Alagados, Subúrbio Ferroviário | Cortejo no bairro

QUANDO: 28 a 14/04 (oficinas), 9h às 12h | 15/04 (cortejo), às 16h

O QUE: Encontro de GigAntes

ONDE: Espaço Cultural Alagados (Final de Linha do Uruguai)

QUANTO: Gratuito

QUANDO: 17/04 (domingo), 10h

ONDE: Dique do Tororó

QUANTO: Gratuito

MAIS INFORMAÇÕES:

 

Bruna Hercog | Assessoria de Imprensa | 71 9 8864.1906

Alessandra Flores | Coordenação Geral | 71 9 9279.5240

Thayná Lima | Coordenação de Produção | 71 9 9999.2930

Lígia Benigno | Produção Executiva | 71 9 9272.0745

 

FACEBOOK | facebook.com.br/lugardegigantes

E-MAIL |lugardegigantes@gmail.com